Agronomia

Sobre o curso

As inovações tecnológicas e a evolução social impõem mudanças nos perfis profissionais e no aperfeiçoamento e formação das pessoas. O ensino de agronomia no Brasil tem passado por várias fases para se encaixar no desenvolvimento ao longo dos anos, existe muita influência da ciência e tecnologia na organização e utilização do espaço agrário.

A busca por um profissional crítico e hábil conhecedor de técnicas impulsiona a FACEG a seguir na contramão da facilidade da diplomação e exige cada vez mais empenho dos seus acadêmicos, que adentram no curso. O perfil do alunado tem apresentado pessoas sobrecarregadas de informações, que necessitam de direcionamento e propostas de ensino que cativem o mesmo a permanecer no curso com todas as incertezas mercadológicas e transformações no quadro político-econômico-social da educação no Brasil.

A situação atual do curso de Agronomia esta pautada na responsabilidade da educação superior com a formação de profissionais competentes, críticos reflexivos e de cidadãos que possam atuar, não apenas em sua área de formação, mas também, no processo de transformação da sociedade. Assim, o curso bacharelado em Agronomia tem como objetivo formar engenheiros agrônomos, com uma sólida formação técnico-científica, humanista e ética. Que o habilite desenvolver projetos, tecnologias e soluções adequadas aos desafios da produção agropecuária, da variação climática, e da demanda mundial por um desenvolvimento sustentável.

 

Dados do Curso

Grau: Bacharelado

Modalidade: Presencial

Regime de matrícula: Semestral

Duração: 5 anos

Turno: Noturno (com aulas aos sábados)

Vagas: 60 semestrais

Campus: Goianésia

Ato Regulatório:
Portaria SERES nº 893 do dia 19 de Julho de 2010
Ato de Reconhecimento: Portaria SERES nº 819 de 29 de outubro de 2015

“A agricultura é a arte de saber esperar.”

 

Riccardo Bacchelli

Mercado de Trabalho

A FACEG tem por atividade fim a promoção do ensino, da pesquisa e da extensão, de forma integrada, com vistas a excelência da formação profissional, ao fomento da produção científica, difusão da cultura, construção da cidadania e o desenvolvimento sustentável da região na qual está inserida. A Instituição desenvolve atividades acadêmicas voltadas para a preparação de profissionais para um mercado de trabalho inovador e competitivo, mediante a atualização permanente do Projeto Pedagógico Institucional, bem como dos projetos pedagógicos dos cursos.
Com sua oitava turma formada, o curso de Agronomia possui um índice de 13% de aprovação na pós graduação, stricto sensu, mestrado acadêmico na sua maioria, destes, três alunos já encontram-se aprovados no doutorado. Isso reforça a preocupação e ações do curso voltadas para a pesquisa. No último levantamento realizado 61% dos egressos estavam no mercado de trabalho.

Matriz Curricular Detalhada   
MATRIZ CURRICULAR2018.1
CHCR
TOTAL CURRICULO4280214
TOTAL ATIVIDADES COMPLEMENTARES54027
TOTAL GERAL DO CURSO4600230
1º PERÍODO
DISCIPLINACHCR
Cálculo I804
Ciências do Ambiente 402
Desenho Técnico804
Introdução à Agronomia402
Língua Portuguesa804
Química Geral804
Sociologia402
TOTAL44022
2º PERÍODO
DISCIPLINACHCR
Biologia Celular804
Cálculo II804
Cidadania, Ética e Espiritualidade402
Física804
Inglês Instrumental402
Metodologia do Trabalho Científico402
Química Orgânica Aplicada804
TOTAL44022
3º PERÍODO
DISCIPLINACHCR
Bioquímica402
Informática Aplicada à Agropecuária402
Introdução à Ciência do Solo402
Morfoanatomia e Taxonomia Vegetal804
Probabilidade e Estatística804
Topografia e Georreferenciamento804
Zoologia Geral402
TOTAL40020
4º PERÍODO
DISCIPLINACHCR
Anatomia e Fisiologia dos Animais804
Construções e Eletrificações Rurais804
Estatística Experimental804
Fisiologia Vegetal804
Geoprocessamento e Cartografia804
Levantamento e Classificação dos Solos804
TOTAL48024
5º PERÍODO
DISCIPLINACHCR
Agrometeorologia e Climatologia402
Entomologia Geral804
Ética Profissional e Legislação402
Genética603
Máquinas, Motores e Mecanização Agrícola.603
Microbiologia Agrícola804
Optativa I402
Zootecnia804
TOTAL48024
6º PERÍODO
DISCIPLINACHCR
Entomologia Agrícola804
Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas804
Fitopatologia Geral804
Irrigação e Drenagem I402
Manejo de Plantas Invasoras603
Melhoramento Vegetal804
TOTAL42021
7º PERÍODO
DISCIPLINACHCR
Extensão Rural402
Fitopatologia Aplicada804
Irrigação e Drenagem II804
Nutrição Animal e Forragicultura804
Produção e Tecnologia de Sementes804
Propagação de Plantas603
TOTAL42021
8º PERÍODO
DISCIPLINACHCR
Fruticultura804
Gestão do Agronegócio I402
Grandes Culturas I804
Manejo e Conservação do Solo e dos Recursos Hídricos603
Manejo e Produção Florestal603
Olericultura804
Tecnologia de Produtos de Origem Animal e Vegetal804
TOTAL48024
9º PERÍODO
DISCIPLINACHCR
Agricultura Orgânica402
Avaliação e Perícias Agronômicas402
Biotecnologia402
Controle e Qualidade Pós Colheita402
Gestão do Agronegócio II402
Grandes Culturas II804
Jardinocultura e Paisagismo603
Optativa II402
Trabalho de Conclusão de Curso I804
TOTAL46023
10º PERÍODO
DISCIPLINACHCR
Estágio Supervisionado24012
Trabalho de Conclusão de Curso II402
TOTAL28014

Trabalho de Conclusão de Curso

O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é obrigatório no Curso de Engenharia Agronômica, e é realizado ao longo do 9º e 10º período. O desenvolvimento do TCC decorrerá como conseqüência de um processo desenvolvido durante todo o curso, tomando como foco de exercício para a construção deste, as disciplinas de estágio supervisionado e projetos de pesquisa. Tomando como base o aspecto vivencial desenvolvido por meio das experiências decorrentes dos estágios, bem como da reflexão e construção do projeto de pesquisa, o Trabalho de Conclusão de Curso deverá ter a orientação de um professor do quadro docente do Curso de Agronomia, supervisionada pelo coordenador da disciplina de TCC. O TCC tem como finalidade principal proporcionar ao estudante de Agronomia a associação entre a teoria adquirida a partir do desenvolvimento dos conteúdos ministrados no decorrer do curso e a prática em pesquisa científica, contribuindo para que graduando identifique afinidades em relação às possíveis áreas de atuação profissional.

Regulamento de TCC

Estágio Curricular

O Estágio Curricular Supervisionado é concebido neste curso, como um componente curricular que complementa o perfil do formando, consistindo numa atividade obrigatória, mas diversificada, tendo em vista a consolidação prévia dos desempenhos profissionais desejados. A realização do estágio alia conhecimento acadêmico com a experiência vivencial do ambiente de trabalho, porque elucida e complementa, na prática, os temas abordados nas aulas pelos professores.

Á medida que os resultados do estágio são verificados, interpretados e avaliados pelo próprio acadêmico estagiário, este deve estar consciente do seu atual perfil, para que ele próprio reconheça a necessidade da ratificação da aprendizagem nos conteúdos em que revelam equívocos ou insegurança de domínio. Assim, o próprio acadêmico assegura-se da reprogramação teórico-prática e reorientação que se revelará no exercício profissional.

O principal objetivo do estágio é proporcionar para os alunos os instrumentos de preparação para a introdução e inserção no mercado de trabalho, mediante ambiente de aprendizagem adequado e acompanhamento pedagógico supervisionado pelo professor em sala de aula. Desta forma, o docente contribui como um facilitador do processo de aprendizagem e profissionalização deste aluno, onde através do estágio, ele se prepara para assumir um papel importante na sociedade, como protagonista e profissional qualificado.

O Estágio é realizado por meio de atividades externas devidamente comprovadas de acordo com o regulamento do estágio e supervisionadas pelo orientador de campo. Atualmente, a instituição conta com 26 empresas conveniadas nos mais variados ramos: produção de açúcar e álcool, elaboração de projetos, fazendas envolvidas com a produção de diversas culturas, cooperativa de agricultores, biotecnologia, meio ambiente, irrigação, produção de borracha, agrobusiness, produção de sementes, produção de mudas, processamento de alimentos etc. Todo semestre, a instituição firma convênio com novas empresas para possibilitar número maior de opções ao acadêmico do curso de agronomia.

O Estágio Curricular Supervisionado possui um total de 240 horas/aula, sendo cursados no 10° períodos respectivamente, com acompanhamento de supervisor e professor de estágio. A avaliação do estágio é feita por meio da entrega de documentos (listados no regulamento de estágio) e entrega do relatório final de estágio.

Regulamento de estágio

Atividades de Extensão

Os estudantes do curso de graduação em Agronomia têm as seguintes possibilidades oferecidas para atividades de extensão durante a realização do curso, objetivando a permanente articulação com a realidade social e do vínculo do trabalho:

Participação na Empresa Júnior de Agronomia que é uma associação civil, sem fins lucrativos, constituída por alunos de graduação do curso de Agronomia da Faculdade Evangélica de Goianésia que prestam consultoria e desenvolvem projetos para agricultores na pessoa física ou jurídica, nas suas áreas de atuação, sob supervisão de professores e profissionais especializados. Possui um estatuto social próprio e tem como missão, “assessorar estrategicamente de modo criativo e inovador, utilizando profissionais éticos, por meio da integração entre alunos e professores orientadores na busca de resultados com eficiência e eficácia”.

A Empresa Junior tem a sua disposição, além de um professor responsável pela sua coordenação, professores do curso de Agronomia que orientam os alunos-consultores em todas as fases de desenvolvimento dos projetos. Assim, os alunos têm o necessário respaldo em suas atividades, garantindo o sucesso dos trabalhos e aprendendo o dia-a-dia das atividades profissionais com absoluta segurança, traduzindo como importante exercício da prática profissional relacionado com a formação acadêmica dos alunos do curso.

Os discentes são estimulados à participação e organização de eventos, como: encontros, seminários, congressos, dias de campo, reuniões, conferências, entre outros, de cunho regional, nacional e internacional. Essas atividades têm como objetivo proporcionar aos diversos níveis de participantes (pesquisadores, profissionais liberais, empresários, produtores e estudantes), a troca de experiências, as informações atuais, relevantes e estratégicas para a formação dos profissionais do agronegócio.

A Faculdade busca estreitar os laços com a comunidade através de atividades sociais. No decorrer do curso são oferecidos aos alunos cursos de extensão, alguns em parceria com o SENAR, visando assuntos da atualidade no mercado do Agronegócio, proporcionando a atualização dos discentes quanto ao mercado de trabalho.

Outra importante atividade de extensão são os estágios não obrigatórios, que é desenvolvido nessa instituição de acordo com a legislação específica, ficando a cargo da coordenação de estágio, disciplinar, acompanhar os termos referentes ao estágio. Essa modalidade de estágio vale como atividades complementares, no limite de 60 horas, conforme o regulamento de atividades complementares.

Pesquisa

A Faculdade Evangélica de Goianésia considera a pesquisa como elemento catalisador do conhecimento científico, técnico, humanístico e ético, que, articulada ao ensino e extensão, exerce relevante papel na produção do conhecimento, propiciando o envolvimento teórico-empírico e a formação profissional pelo exercício da reflexão. O estudante tem a possibilidade de realizar pesquisas, sobre orientação de um professor, dentro de um dos seguintes programas:
O Curso de Agronomia é o que mais possui produção científica dentre os cursos da Faculdade Evangélica de Goianésia, e um dos mais produtivos dentre todos da Associação Educativa Evangélica.

Atualmente esta com 22 projetos de iniciação científicas aprovados e sendo desenvolvidos na instituição.

Atividades Complementares

As atividades extra sala correspondem a práticas acadêmicas que buscam ampliar o currículo e enriquecer o perfil do formando. Estas atividades são avaliadas na instituição por meio das atividades complementares de 300 (trezentas horas) horas/aula, e dos Estágios Supervisionados 240 (duzentas e quarenta) horas/aula.

As atividades complementares ampliam os horizontes do conhecimento do aluno para além do ambiente da sala de aula e propiciam a transdisciplinaridade no currículo. Constituem, portanto, ações que devem ser desenvolvidas ao longo do curso, criando mecanismos de aproveitamento de conhecimentos adquiridos pelo graduando, por meio de estudos e práticas independentes, presenciais e/ou à distância, que integram o currículo. Caracterizam-se também como atividades paralelas ao curso, de aprofundamento e diversificação de estudos, que possibilitam o reconhecimento de habilidades e competências do aluno fora do ambiente escolar. O aluno deve desenvolver essas atividades segundo sua própria conveniência, oportunidade e compatibilidade de horário com as disciplinas curriculares, desde que guarde correlação com a área de conhecimento do curso.

As atividades complementares, assim, destinam-se a estimular a prática de estudos independentes, transversais, opcionais, de interdisciplinaridade, de permanente e contextualizada atualização profissional específica, sobretudo nas relações com o mundo do trabalho, estabelecidas ao longo do curso, notadamente integrando-as às diversas peculiaridades regionais e culturais. Na prática, as atividades complementares são mecanismos para aproveitamento dos conhecimentos adquiridos pelo estudante por meio de monitorias, estágios, programas de iniciação científica, atividades de extensão, participação em eventos científicos e culturais, participação em shows, visitas a museus e exposições ou em programas e cursos oferecidos por organizações empresariais. A descrição de todas as atividades complementares aceitas no curso encontra-se no Regulamento de Atividades Complementares.

Regulamento das Atividades Complementares

Diferencial Profissional

O Município possui a economia baseada no agronegócio, uma agricultura e produção rural bem diversificada. Há a presença de várias agroindústrias na região e comércios em geral. Possui uma Cooperativa de processamento de leite (CAGEL) e uma Associação dos Produtores de Leite de Goianésia (APROLEITE) em que todos integrantes produzem leite tipo “A”. Três usinas de álcool, açúcar e energia: A Jalles Machado, a Unidade Otávio Lage-Codora e a Usina Goianésia. Possui ainda uma indústria de processamento de polpa, a Goiás Alimentos Ltda – Goialli; a Vera Cruz Agropecuária, empresa de agronegócios; além da empresa de origem francesa Limagrain Guerra do Brasil, indústria de grãos e Geociclo, indústria de fertilizantes. Vale ressaltar que, em município vizinho, Barro Alto, está a Anglo American, empresa de mineração de grande porte, que impacta diretamente a economia de Goianésia. Também, outra grande fonte de emprego e renda está no comércio local, que tem se desenvolvido e diversificado a passos largos com o decorrer dos anos e o crescimento populacional de Goianésia. Possui atualmente 88 estabelecimentos industriais, um Distrito Agroindustrial (DAIGO – Condomínio industrial), um frigorífico (Minerva Indústria Com. Importação e Exportação Ltda.), dois laticínios (Cooperativa Agropecuária de Goianésia Ltda. e Laticínios Queijão Ltda.).

Os produtos agrícolas com maior peso na economia goianesiense são: a cana de açúcar, o tomate industrial e a seringueira. O milho, o sorgo, a soja, também possuem influência na produção agrícola regional. Além de ter uma agricultura familiar bem diversificada que produzem hortaliças para abastecer o Município. As pequenas propriedades rurais têm, em sua maioria, como principal fonte de renda, o leite, que é destinado a abastecer os laticínios da região. Possui cerca de 400 agricultores e produtores familiares que são membros de 14 associações organizadas em uma central, localizada na feira Mauro Silva, que fomentam a feira livre do produtor rural as quartas e sextas feiras no Município.  Outras atividades relevantes no cenário econômico são: o ramo frigorífico, a produção de ração, sal mineral, calcário, brita e cerâmica.

A presença de instituições de Ensino Superior em qualquer região é elemento fundamental de desenvolvimento econômico e social, bem como de melhoria da qualidade de vida da população, uma vez que proporciona o aproveitamento das potencialidades locais. Da mesma forma, os municípios que possuem representações de universidades, estão permanentemente desfrutando de um acentuado processo de transformação econômica e cultural. Que é propiciado por parcerias firmadas entre essas instituições e as comunidades em que estão inseridas, que fomentam a troca de informações e a interação científica, tecnológica e intelectual. Estes dados justificam a presença de um Curso de Agronomia na região, como forma de fomento à matriz produtiva local, gerando possibilidades de diversificação e maximização da produção local e da área de influência com vistas à sustentabilidade econômica, social e ambiental.

 

 

Corpo Docente

NOMETITULAÇÃOCURRÍCULO LATTES
Adelmo Martins RodriguesMestrehttp://lattes.cnpq.br/2678961893417889
Agnês Raquel CamisãoDoutorahttp://lattes.cnpq.br/9997232595078663
Ana Cláudia Oliveira SérvuloMestra http://lattes.cnpq.br/6902895395095059
Anderli Divina Ferreira RiosDoutorahttp://lattes.cnpq.br/7408413323831461
Ayure Gomes da SilvaMestra http://lattes.cnpq.br/4561002029537776
Daniel Ferreira CaixetaDoutorhttp://lattes.cnpq.br/6098041384267730
Dyb Youssef BittarMestrehttp://lattes.cnpq.br/8199531127532888
Éder Mendes de PaulaDoutorhttp://lattes.cnpq.br/9252527394474551
Eliane Divina de ToledoDoutorahttp://lattes.cnpq.br/7073451196447561
Elias Emanuel Silva MotaDoutorhttp://lattes.cnpq.br/3909234665860652
Elitania Gomes XavierMestrahttp://lattes.cnpq.br/0663790242586150
France de AquinoEspecialistahttp://lattes.cnpq.br/3277392059031632
Gustavo Henrique MendesMestrehttp://lattes.cnpq.br/0641173314481030
Jadson Belém de MouraDoutorhttp://lattes.cnpq.br/9177321468873413
José Eduardo Barbosa de SouzaMestrehttp://lattes.cnpq.br/0242949886742885
Joseanny Cardoso da SilvaDoutorahttp://lattes.cnpq.br/6593932308271622
Kátia Regina Rodrigues Oliveira GouveiaMestrahttp://lattes.cnpq.br/5134351880387110
Lauriane Gomes SantinDoutora http://lattes.cnpq.br/0559500872819782
Matheus Oliveira da SilvaDoutorhttp://lattes.cnpq.br/8793331269164455
Rodrigo Fernandes de SouzaMestrehttp://lattes.cnpq.br/6079821116025938
Thiago Ferreira da CunhaDoutorhttp://lattes.cnpq.br/0949939753557618
Victor Alves RibeiroDoutorhttp://lattes.cnpq.br/0458431392079900
Vinicius Vargas Vieira dos SantosMestrehttp://lattes.cnpq.br/5397270735760953

Infra Estrutura do Curso

  • Salas de aula

As salas de aula implantadas para o curso de Agronomia são excelentes, e estão distribuídas no Bloco E. A quantidade e dimensões são adequadas para número de vagas implementadas, sendo muito cômodas para a permanência do acadêmico. São acessíveis as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida (conforme disposto na CF/88, art. 205, 206 e 208, na NBR 9050/2004, da ABNT, na Lei N° 10.098/2000, nos Decretos N° 5.296/2004, N° 6.949/2009, N° 7.611/2011 e na Portaria N° 3.284/2003).

Possuem carteiras em número ideal para acomodar os acadêmicos, além de carteiras para obesos (NBR 9050) e carteiras para não destros. Há equipamentos de multimídia disponíveis, telões para projetor, quadro branco e de avisos, ótima iluminação, natural e artificial, acústica, ventilação natural e com uso de climatizadores e são conservadas tanto em limpeza quanto em infraestrutura. Os banheiros ficam no próprio corredor das salas de aulas, bem como bebedouros.

  • Biblioteca

A biblioteca é gerenciada pelo software Archeslib de controle de bibliotecas, que permite o gerenciamento de todas as demandas para utilização do acervo e empréstimo.

  • Horário de funcionamento:

Segunda a sexta: 12h às 22:30h;

Sábados: 08h às 12h

  • Espaço Físico e Acervo

A Biblioteca da IES funciona em parte dos 2 (dois) primeiros pavimentos do Bloco E. Possui área total de 962,77m².

  • LABORATÓRIOS
  1. Laboratório de Informática
  2. Laboratórios Didáticos Especializados – Centro Tecnológico
  3. Atelier de Desenho Técnico I e II.
  4. Laboratório de Física, Eletricidade e Instalações Elétricas.
  5. Laboratório Multidisciplinar/Microscopia
  6. Laboratório Multidisciplinar de Química.
  7. Laboratório de Microbiologia e Fitopatologia
  8. Laboratório de Entomologia
  9. Laboratório de Fitotecnia
  10. Laboratório de Solos
  11. Fazenda Escola – A Fazenda Escola de Agronomia está situada a 550 metros da sede da Faculdade Evangélica de Goianésia situada à Rua 22 s/n, zona rural, possui uma área experimental de 18,72 hectares.

 

 

 

Coordenadora do curso

Drª. Eliane Divina de Toledo

Eliane Divina de Toledo Souza graduada em Agronomia na Universidade Federal de Goiás (1993), mestra em Agronomia na Universidade Federal de Goiás (1999) e doutora em Fitopatologia na Universidade de Brasília (2006). Foi professora de fitopatologia na Universidade Estadual de Goiás e na Universidade Federal de Goiás. Atualmente é professora e coordenadora do curso de Agronomia da Faculdade Evangélica de Goianésia. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fitopatologia, atuando principalmente nos seguintes temas: mofo branco, murcha-de-fusário, podridões radiculares, controle cultural das doenças causadas por fungo de solo na cultura do feijoeiro.

Currículo Lattes

Ainda tem Dúvidas? Contate-nos.

Telefone: (62) 3389-7350

E-mail: agronomia@evangelicagoianesia.edu.br